sexta-feira, 18 de Setembro de 2009

Dockanema - ainda dá para ver




Termina este fim de semana o IV Dockanema


Todo o programa pode ser consultado aqui.




Além dos documentários há muito que ver e fazer.
Exposições, foruns, concertos e muitas conversas ainda para ter.
Até domingo, e noutros casos até mais tarde, o Dockanema está a acontecer.


quinta-feira, 13 de Agosto de 2009

Africanismo ontem e hoje - Continuam as conversas



No sábado de 15 de Agosto, a partir das 15:00, no espaço Muvart (jardim do Museu Nacional de Arte) haverá outra conversa.
Desta vez fala-se de Africanismo.
Existe uma filosofia Africana? Há lugar para diferenças contibnentais quando se fala em Global? E as identidades, como se revelam?

Para arrancar com a conversa estará o P. Muanamosi Matumona, convidado angolano com Doutoramento em Teologia e formação na área da Sociologia e da comunicação.
A entrada é livre!

quinta-feira, 18 de Junho de 2009

Próximo Futuro - como é feito e pensado

Próximo Futuro é o novo Programa de cultura contemporânea da Fundação Calouste Gulbenkian .
É dedicado em particular, mas não exclusivamente, à investigação e criação na Europa, na América Latina e Caraíbas e em África. O seu calendário de realização é do Verão de 2009 ao fim de 2011.
Trouxa de 8 couves
D. Josefina Amélia dos Prazeres Santos Tembe
viajando no tejadilho do calhambeque "Chapa 100"
ia à cidade de Maputo vender
uma trouxa de 8 couves
quando aquele frufru
da rajada não deixou.
José Craveirinha

São muitas as formas de apresentar as diferentes produções – toldos de poemas pelos jardins, exposições, concertos, espectáculos, conferencias, edições – e para que tudo não fique retido num distante espaço físico existe um site e um blog que partilha com o mundo o que vai realizar-se em Lisboa. É uma forma de aproximar.

Vale a pena visitar, acompanhar e até opinar

segunda-feira, 15 de Junho de 2009

"Qual é a tua revolução?"

Outra conversa tida

O Paulo Moreira é arquitecto, formado no Porto e a fazer Mestrado em Londres.

Passou a tarde de dia 6 de Junho no espaço Muvart. A conversa foi entre amigos. Mostraram-se fotografias e ideias. Contaram-se histórias de família.


Alguém perguntou: "Qual é a tua revolução?"
Eo Paulo explicou.
Depois falou o Pedro.

Trouxe postais, provcações,
inquietações e visões do tempo.

Quando era noite saímos.
Pode ouvir-se mais do que se passou
aqui

sexta-feira, 12 de Junho de 2009

Para o Rangel

Uma das tuas coisas favoritas:
Jazz



1924 - 2009

Vamos ter saudades tuas



sexta-feira, 5 de Junho de 2009

Conversas tidas e a ter

No espaço Muvart (no jardim do Museu Nacional de Arte)

Primeiro chegou um e-mail.


Chamo-me Inês Costa Dias. Estou a fazer doutoramento em Londres, no Royal College of Art, no departamento de curadoria, sobre arte contemporânea e curadoria em Portugal, Brasil e Moçambique. Estou a trabalhar com base em conceitos pós-coloniais, como nação, identidade, diáspora, etc.
Tenho estado em contacto com Alda Costa e Jorge Dias porque estou interessada em trabalhar sobre o Muvart. E tenho vindo a recolher bibliografia sobre o movimento, que me tem despertado cada vez maior interesse."
Depois chegou a Inês com muitas perguntas.
Passou a tarde de sábado passado (30 de Maio) no espaço Muvart. E a conversa durou horas.



O Muvart é ou não uma ruptura? com o quê?


Como nasce? Porque desperta interesse?




O MUVART ainda tem espaço? ou está moribundo?

Uma produtora ou um Movimento?




Quem o faz? quem participa?

E os novos, porque querem entrar?


Com a Inês veio a Tânia da Fonte
Uma amiga, artista que tinha estado a fazer a sua tese em arte pública na Alemanha.




A linguagem, a pesquisa, o conceito,



A concretização, a desfesa.


Escureceu. Faltou a luz, mas a conversa continuou.
No próximo sábado dia 6/6 a partir das 15 há outra conversa.
No Mesmo lugar.

Com o Paulo Moreira. Um arquitecto que gosta de arte.

O tema é o tempo.

Ele diz que traz imagens.

terça-feira, 2 de Junho de 2009

Olhar sobre Nova York

Museu da Cidade de Nova York
Dutch Seen: New York Rediscovered
de 10 Jun a 13 de Setembro



Há 400 anos atrás acontecia a primeira viagem exploratória à ilha de Manhattan para avaliar as condições para a colónia holandesa ali se fixar.

Para comemorar a data 30 fotógrafos holandeses contemporâneos foram convidados a retratar a cidade.


A curadora da exposição Kathy Ryan, editora de fotofgrafia da New York Times Magazine, apresenta aqui alguns dos olhares holandeses que revistam a cidade. Vale a pena ver e ouvir.